Pages

A ESPOSA QUE TODO MARIDO GOSTARIA DE TER - Parte I


Assim como a maioria das leitoras desse blog eu ainda não estou casada, e sei exatamente o que é ser solteira. Entendo as preocupações e as ansiedades de cada uma em relação ao casamento. Perguntas como: O que é ser esposa? Como devo agir? Como agradar o meu marido? Também insistem em rodear a minha mente.
Esses dias aprendi algo muito interessante sobre ser a esposa que todo marido gostaria de ter e gostaria muito de compartilhar com vocês.
Me fez refletir sobre muitas coisas e tenho certeza que fará o mesmo com vocês.

"Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada." Pro 31:30


Para me tornar "aquela esposa que todo marido gostaria de ter" não tenho que ser simplesmente uma boa dona de casa mas tenho que ser a rainha do meu lar e aceitar o meu esposo como rei; não tenho que ser simplesmente uma companheira sexual que se submete aos desejos do esposo, mas tenho que ser uma esposa romântica e apaixonada; não tenho que ser simplesmente babá dos meus filhos, mas tenho que ser um exemplo que os influência a destacar-se e a progredir.
Para me tornar aquela "esposa que todo marido gostaria de ter" tenho que cumprir os 4 etapas seguintes:


1 - ACEITAR meu marido como ele é.
2 - ADMIRÁ-LO todos os dias.
3 - ADAPTAR-ME a seu modo de vida.
4 - APRECIAR tudo que ele fizer por mim.


1 - "ACEITE-O!"


É intenção da maioria de nós mulheres, quando estamos namorando ou estamos noivas, é querer modificar o nosso futuro marido.


Por que somos tolas? Isto nunca dá certo! A nossa insistência em tentar mudá-lo só o deixa infeliz. O homem precisa ser aceito como é, exatamente como é.
Você acha que querer ser aceito como é, é errado? E você? E eu? Será que não queremos ser aceitas do jeitinho que somos? È claro que mudar é preciso, é necessário. Mais a mudança tem que partir de cada um de nós, não deve ser uma coisa imposta ou forçada.


Se ao invés de vivermos importunando para ele mudar, aceitássemos a sua maneira de ser, então ele iria se convencer de que nós, realmente, o amamos. E se esforçaria a mudar.


Vejamos o exemplo de uma mulher que agia com o marido do mesmo modo que agia com as crianças - dando ordens, como se fosse sua mãe:


"Infelizmente, sou insuportável por natureza. Não porque queira - parece que as coisas simplesmente vão acontecendo. Importunar os outros é meu passatempo. Durante o dia inteiro ordeno às crianças:
- Apanhem suas roupas, escovem os dentes, levantem-se da cama!
Quando meu marido chega em casa, naturalmente continuo a comandar.
- Leve o lixo para fora de casa, seja gentil com a mamãe, sorria para os outros, e assim por diante.
Seis anos seguidos importunei meu esposo com os mesmos assuntos, dia após dia. Finalmente, ele não podia mais agüentar. Falou-me com firmeza uma noite:
- Chega de me importunar! Já ouvi, desde a primeira vez. Não sou seu filho, sou seu marido!
Fiquei um pouco chocada a princípio, mas não consegui tirar da mente aquelas palavras. Senti-me impotente. Não concebia que o lixo poderia ser levado para fora de casa se eu não lembrasse Charlie de fazê-lo a cada hora. Afinal, só estava tentando ajudar!
Repassei mentalmente a semana anterior e detive-me em câmera lenta, nas cenas mais marcantes. Notei que as reações de Charlie haviam caído em rotina. Se o importunava sem parar, ele simplesmente ignorava-me; já me havia ouvido da primeira vez. Se não se calava, como sempre costumava fazer, Charlie explodia.
- Você está sempre me mandando levar o lixo para fora de casa, explodiu ele uma noite. - Hoje já me pediu quatro vezes. Você sabe que no fim o lixo sempre é retirado. Mas recuso-me deliberadamente a fazê-lo até que você pare de me importunar! Ele lutava pelo direito de ser ele mesmo, contrariando-me para provar que era o líder!
Começava eu a assumir as características de uma segunda mãe, e, segundo os psiquiatras, não havia possibilidade de meu marido sentir-se romântico ao lado de uma segunda mãe.
De uma coisa estava certa. Importuná-lo não dava bom resultado. Decidi, naquela noite, não insistir sobre a estória do lixo. Não diria uma palavra, mesmo que lá ficasse por semanas a fio. Mas para minha surpresa, Charlie levou o lixo para fora naquela mesma noite - sem qualquer colaboração de minha parte! Incrível!”


O marido deve sentir-se livre na intimidade do seu lar, livre para fazer o que quiser.
Importuná-lo por causa de coisas triviais, só vai chateá-lo e fazê-lo sair de casa. Procure sempre olhar o lado positivo de seu marido. Procure ver sempre nele as características boas que você vê agora enquanto estão namorando ou noivos , procure não se incomodar mais com seus defeitos, pois só assim você conservará o amor entre vocês.


Se você deseja que seu casamento tenha êxito, nada de super valorizar os defeitos do seu marido . A decisão é sua - você decide se quer ficar toda a sua vida reclamando, resmungando ou simplesmente amar o  seu marido.
Amar é ACEITÁ-LO do jeito que ele é. Vejam algumas dicas:


a) Tolerância não é aceitação;
b) Seu marido necessita de sua aceitação;
c) Nunca o compare com outro homem;
d) Ele nunca confiará em você quando sentir que você o critica ou tenta mudá-lo;
e) Aceite sua fraquezas e valores;
f) Seu marido precisa sentir-se importante, amado e ACEITO.


A vida é muito curta para deter-se nas fraquezas dos seres humanos.
Concentre-se em seus valores.

1 comentários:

Priscila Leite disse...

Olá seu blog está lindo e com ótimas mensagens!
Gostaria que fosse minha amiga também em meu blog:
http://meublogpessoalpriscilaleite.blogspot.com
Será um prazer receer a sua visita. Deus abençoe!

Postar um comentário

3 de jun de 2010

A ESPOSA QUE TODO MARIDO GOSTARIA DE TER - Parte I


Assim como a maioria das leitoras desse blog eu ainda não estou casada, e sei exatamente o que é ser solteira. Entendo as preocupações e as ansiedades de cada uma em relação ao casamento. Perguntas como: O que é ser esposa? Como devo agir? Como agradar o meu marido? Também insistem em rodear a minha mente.
Esses dias aprendi algo muito interessante sobre ser a esposa que todo marido gostaria de ter e gostaria muito de compartilhar com vocês.
Me fez refletir sobre muitas coisas e tenho certeza que fará o mesmo com vocês.

"Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada." Pro 31:30


Para me tornar "aquela esposa que todo marido gostaria de ter" não tenho que ser simplesmente uma boa dona de casa mas tenho que ser a rainha do meu lar e aceitar o meu esposo como rei; não tenho que ser simplesmente uma companheira sexual que se submete aos desejos do esposo, mas tenho que ser uma esposa romântica e apaixonada; não tenho que ser simplesmente babá dos meus filhos, mas tenho que ser um exemplo que os influência a destacar-se e a progredir.
Para me tornar aquela "esposa que todo marido gostaria de ter" tenho que cumprir os 4 etapas seguintes:


1 - ACEITAR meu marido como ele é.
2 - ADMIRÁ-LO todos os dias.
3 - ADAPTAR-ME a seu modo de vida.
4 - APRECIAR tudo que ele fizer por mim.


1 - "ACEITE-O!"


É intenção da maioria de nós mulheres, quando estamos namorando ou estamos noivas, é querer modificar o nosso futuro marido.


Por que somos tolas? Isto nunca dá certo! A nossa insistência em tentar mudá-lo só o deixa infeliz. O homem precisa ser aceito como é, exatamente como é.
Você acha que querer ser aceito como é, é errado? E você? E eu? Será que não queremos ser aceitas do jeitinho que somos? È claro que mudar é preciso, é necessário. Mais a mudança tem que partir de cada um de nós, não deve ser uma coisa imposta ou forçada.


Se ao invés de vivermos importunando para ele mudar, aceitássemos a sua maneira de ser, então ele iria se convencer de que nós, realmente, o amamos. E se esforçaria a mudar.


Vejamos o exemplo de uma mulher que agia com o marido do mesmo modo que agia com as crianças - dando ordens, como se fosse sua mãe:


"Infelizmente, sou insuportável por natureza. Não porque queira - parece que as coisas simplesmente vão acontecendo. Importunar os outros é meu passatempo. Durante o dia inteiro ordeno às crianças:
- Apanhem suas roupas, escovem os dentes, levantem-se da cama!
Quando meu marido chega em casa, naturalmente continuo a comandar.
- Leve o lixo para fora de casa, seja gentil com a mamãe, sorria para os outros, e assim por diante.
Seis anos seguidos importunei meu esposo com os mesmos assuntos, dia após dia. Finalmente, ele não podia mais agüentar. Falou-me com firmeza uma noite:
- Chega de me importunar! Já ouvi, desde a primeira vez. Não sou seu filho, sou seu marido!
Fiquei um pouco chocada a princípio, mas não consegui tirar da mente aquelas palavras. Senti-me impotente. Não concebia que o lixo poderia ser levado para fora de casa se eu não lembrasse Charlie de fazê-lo a cada hora. Afinal, só estava tentando ajudar!
Repassei mentalmente a semana anterior e detive-me em câmera lenta, nas cenas mais marcantes. Notei que as reações de Charlie haviam caído em rotina. Se o importunava sem parar, ele simplesmente ignorava-me; já me havia ouvido da primeira vez. Se não se calava, como sempre costumava fazer, Charlie explodia.
- Você está sempre me mandando levar o lixo para fora de casa, explodiu ele uma noite. - Hoje já me pediu quatro vezes. Você sabe que no fim o lixo sempre é retirado. Mas recuso-me deliberadamente a fazê-lo até que você pare de me importunar! Ele lutava pelo direito de ser ele mesmo, contrariando-me para provar que era o líder!
Começava eu a assumir as características de uma segunda mãe, e, segundo os psiquiatras, não havia possibilidade de meu marido sentir-se romântico ao lado de uma segunda mãe.
De uma coisa estava certa. Importuná-lo não dava bom resultado. Decidi, naquela noite, não insistir sobre a estória do lixo. Não diria uma palavra, mesmo que lá ficasse por semanas a fio. Mas para minha surpresa, Charlie levou o lixo para fora naquela mesma noite - sem qualquer colaboração de minha parte! Incrível!”


O marido deve sentir-se livre na intimidade do seu lar, livre para fazer o que quiser.
Importuná-lo por causa de coisas triviais, só vai chateá-lo e fazê-lo sair de casa. Procure sempre olhar o lado positivo de seu marido. Procure ver sempre nele as características boas que você vê agora enquanto estão namorando ou noivos , procure não se incomodar mais com seus defeitos, pois só assim você conservará o amor entre vocês.


Se você deseja que seu casamento tenha êxito, nada de super valorizar os defeitos do seu marido . A decisão é sua - você decide se quer ficar toda a sua vida reclamando, resmungando ou simplesmente amar o  seu marido.
Amar é ACEITÁ-LO do jeito que ele é. Vejam algumas dicas:


a) Tolerância não é aceitação;
b) Seu marido necessita de sua aceitação;
c) Nunca o compare com outro homem;
d) Ele nunca confiará em você quando sentir que você o critica ou tenta mudá-lo;
e) Aceite sua fraquezas e valores;
f) Seu marido precisa sentir-se importante, amado e ACEITO.


A vida é muito curta para deter-se nas fraquezas dos seres humanos.
Concentre-se em seus valores.

1 comentários:

Priscila Leite disse...

Olá seu blog está lindo e com ótimas mensagens!
Gostaria que fosse minha amiga também em meu blog:
http://meublogpessoalpriscilaleite.blogspot.com
Será um prazer receer a sua visita. Deus abençoe!

Postar um comentário